Entidades médicas questionam MS sobre a gratificação

27/03/2014


Representantes do CREMERJ, do Sinmed-RJ e da Fenam participaram nessa quarta-feira, 26, de uma reunião em Brasília com o diretor do Departamento de Regulação, Avaliação e Controle do Ministério da Saúde, Fausto Pereira dos Santos. Na ocasião, discutiu-se a situação dos hospitais do Rio de Janeiro e a falta de correção das gratificações por desempenho dos médicos federais.

O presidente do CREMERJ, Sidnei Ferreira, ressaltou que, desde a MP 568/2012, o salário dos médicos ficou inferior ao dos outros profissionais de nível superior.

“Temos reivindicado a correção dessa gratificação desde 2012. No ano passado, as entidades médicas tiveram uma reunião com a presidente Dilma Rousseff e ela cobrou uma solução ao Alexandre Padilha, que na época era o ministro da Saúde. Ele ficou de avaliar com o Ministério do Planejamento, porém nunca nos deu uma resposta”, lembrou.

Sidnei Ferreira também disse que, no Rio de Janeiro, as unidades federais vêm sendo sucateadas.

“Serviços têm sido fechados, devido à falta de infraestrutura e de recursos humanos. Além disso, os estatutários estão se aposentando, não há concurso público com salários dignos, as condições de trabalho estão péssimas e não há planos de cargos, carreira e vencimentos. A desativação de serviços prejudica principalmente a população”, afirmou.

Na ocasião, Sidnei Ferreira e os presidentes do Sinmed-RJ e da Fenam, Jorge Darze e Geraldo Ferreira, respectivamente, exigiram do Ministério da Saúde a reparação imediata da gratificação por desempenho.

O representante do Ministério da Saúde, por sua vez, garantiu que a pasta se reunirá com o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Ele prometeu uma resposta, até a próxima terça-feira, 1 de abril, com possível solução para a gratificação por desempenho dos médicos federais.

A conselheira do CREMERJ Erika Reis e os diretores do Sinmed-RJ Sara Padron, Julio Noronha e Rosângela da Motta também participaram da reunião.