Médicos decidem continuar a greve nos hospitais federais

12/03/2014


Médicos federais decidiram dar continuidade à greve dos servidores públicos, após uma assembleia no auditório do CREMERJ nessa segunda-feira, 10. Na ocasião, deliberou-se também que a categoria concentrará esforços na pauta nacional do movimento, que reivindica o pagamento da Gratificação por Desempenho, salários dignos, realização de concurso público, melhores condições de trabalho, atendimento adequado para a população e maior financiamento para a saúde.
 
Com relação à greve, o CREMERJ e o Sinmed-RJ apontaram como fundamental a mobilização dos médicos em suas unidades e sugeriram a criação de comissões em cada hospital. Para avaliar o movimento, a assembleia aprovou uma reunião para a próxima segunda-feira, 17, às 19h, no auditório do Sinmed-RJ, com representantes dos hospitais federais.
 
No encontro, os médicos se posicionaram favoráveis à manifestação nacional no Dia Mundial da Saúde (7 de abril). No Rio de Janeiro, o ato público será realizado na Cinelândia, às 10h. Também haverá uma assembleia, no dia 24 de março, na sede do Conselho, para organizar essa mobilização.
 
“Há uma desconsideração total das três esferas de governo com os médicos e nunca houve um plano nacional para a saúde. Nosso movimento pode ser fortalecido se tivermos um número grande de pessoas na Cinelândia nessa manifestação”, afirmou o presidente do CREMERJ, Sidnei Ferreira.

Também participaram da reunião: os conselheiros Nelson Nahon, Pablo Vazquez, Serafim Borges, Gil Simões, Erika Reis, Vera Fonseca, Luís Fernando Moraes, Carlos Enaldo de Araújo e Guilherme Eurico; o presidente do Sinmed-RJ, Jorge Darze, e membros da sua diretoria; o presidente da Associação dos Médicos Residentes do Estado do Rio de Janeiro (Amererj), Diego Puccini; e representantes do Sindsprev-RJ.