Vigilância Sanitária reabre nove ambulatórios da Santa Casa

12/11/2013


Após a mobilização de médicos, funcionários, do CREMERJ e de outras entidades, foram liberados para funcionamento nove ambulatórios, apenas para atendimento clínico, e o serviço de radiologia do Hospital Geral da Santa Casa da Misericórdia no fim da tarde dessa terça-feira, 12. A decisão foi tomada pela Superintendência de Vigilância Sanitária da Secretaria Estadual de Saúde, que, no dia 9 de outubro, interditou totalmente a unidade, deixando os pacientes sem assistência.
 
De acordo com a Vigilância Sanitária, no prazo de dez dias, a direção da Santa Casa deve apresentar um laudo de vistoria do Corpo de Bombeiros ou de uma empresa credenciada, sob risco de ocorrer nova interdição. A Vigilância Sanitária deve realizar nova vistoria no hospital ainda esta semana, para verificar se as exigências estão sendo cumpridas. A internação de pacientes continua suspensa devido à falta de condições das instalações.
 
Desde a interdição, médicos, funcionários e representantes do CREMERJ, do Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro e de outras entidades se reuniram várias vezes e mobilizaram parlamentares e autoridades das três esferas – federal, estadual e municipal –, com o objetivo de encontrar formas para reabrir o hospital. Na manhã dessa segunda-feira, por exemplo, cerca de 150 pessoas promoveram um abraço simbólico à Santa Casa, e depois se reuniram no auditório da instituição.
 
Para o presidente do CREMERJ, Sidnei Ferreira, a liberação dos ambulatórios e do serviço de radiologia é uma vitória, mas, segundo ele, a luta continua pela reabertura total do hospital e pela melhoria das condições da unidade.
 
“Nossa luta é por uma causa nobre e recebemos essa notícia de forma positiva. Temos trabalhado para sensibilizar as autoridades para uma questão grave de saúde pública, pois pacientes crônicos ficaram sem poder dar continuidade ou iniciar seu tratamento. Queremos, na verdade, a reintegração da Santa Casa ao SUS e é por isso que vamos lutar”, afirmou.