CREMERJ visita Hospital Maternidade Carmela Dutra

07/06/2013


O Hospital Maternidade Carmela Dutra recebeu visita técnica da diretoria do CREMERJ nesta quinta-feira, 6. Os principais problemas encontrados foram relacionados à falta de recursos humanos, com destaque para a pediatria. Além de estar com a equipe reduzida, os pediatras ficam mais sobrecarregados, porque bebês com sintomas de doenças leves, como gripe, ou com dificuldades na amamentação são levados para a emergência da maternidade ao invés de serem encaminhados para uma unidade de assistência básica.
 
A situação da falta de pessoal poderá se agravar ainda mais, porque a maioria dos médicos federais está perto de se aposentar.
 
No hospital, são realizados em média 550 partos por mês e, normalmente, os plantões são formados por cinco obstetras, quatro pediatras e três anestesistas.
 
A vice-presidente do CREMERJ, Vera Fonseca, e o conselheiro Armindo Fernando da Costa se reuniram com a direção da maternidade e visitaram vários setores, como: centro cirúrgico, UTI neonatal, UI neonatal e acolhimento.
 
A enfermaria Canguru funciona anexa à UI neonatal, formato pioneiro no Rio de Janeiro que serviu de referência para outras unidades do estado. Nesse projeto, a mãe fica, integralmente, com o recém-nascido, que está internado.
 
Na maternidade, funcionam ainda outros programas, como assistência à mulher vítima de violência sexual, Rede Cegonha e serviço para acompanhamento de crianças nascidas prematuramente.
 
“Esse é um hospital de referência com excelentes profissionais. É preocupante a falta de recursos humanos, principalmente porque muitos colegas estão perto de se aposentar. Esse problema só será resolvido quando houver concurso público com salário digno e planos de carreira”, declarou Vera Fonseca.
 
Após a visita, os conselheiros se reuniram com membros da Comissão de Ética Médica da maternidade, que reforçaram a questão da carência de recursos humanos e demonstraram preocupação com a diversidade de vínculos em uma só unidade, como vem acontecendo nos hospitais públicos.
 
“O CREMERJ é contra as Organizações Sociais e a favor de concurso público. Denunciamos constantemente essa confusão de vínculos e apoiamos o salário dos médicos de acordo com a Fenam, que é de R$ 10.412,00”, disse Armindo Fernando.