Audiência com ministro da Saúde acontecerá após manifestação

05/06/2013


A manifestação do dia 5 de junho, às 10h, na Cinelândia, quando médicos protestarão em defesa da saúde pública e da valorização da medicina, foi um dos principais assuntos tratados durante a assembleia dos médicos federais, realizada nessa segunda-feira, 3, no Colégio Brasileiro de Cirurgiões (CBC). A reunião contou com a presença de cerca de 100 colegas, que representaram os seis hospitais federais e os dois institutos nacionais. O evento foi organizado pelo CREMERJ e pelo Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (Sinmed-RJ). 

Na ocasião, o vice-presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM) e  conselheiro do CREMERJ, Aloísio Tibiriçá, valorizou o ato público e anunciou que o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, convocou as entidades médicas nacionais para uma audiência no dia 5 de junho no período da tarde.

“É de extrema importância a união dos colegas, porque o resultado dessa manifestação será o termômetro para a audiência com o Ministério da Saúde. A pauta é extensa, porque temos várias questões, como a importação dos médicos sem a revalidação do diploma, concurso público, carreira de Estado e gratificação dos médicos que ainda não foi reajustada”, acrescentou. 

A presidente do CREMERJ, Márcia Rosa de Araujo, reforçou a importância do ato público para a categoria e motivou os colegas a não deixarem de participar da manifestação. 

 “Estamos em número maior nessa assembleia e isso já é resultado das visitas que fizemos nas unidades federais nas últimas semanas. Estou bastante otimista porque essa reunião com o ministro não é à toa. Nossa presença nesse ato definirá o viés dessa audiência. Vamos continuar a luta pela valorização da medicina no nosso país”, declarou Márcia Rosa.

Os médicos que decidirem fazer uma paralisação nos procedimentos eletivos, pela manhã, para comparecerem ao ato receberão respaldo das entidades médicas nacionais e do Rio de Janeiro. 

Também participaram do evento os conselheiros do CREMERJ Sidnei Ferreira, Luís Fernando Moraes, Vera Fonseca, Erika Reis, Armindo Fernando da Costa, Pablo Vazquez, José Ramon Blanco, Kássie Cargnin e Nelson Nahon; o representante da Federação Nacional dos Médicos (Fenam), Otto Baptista; o presidente do Sinmed-RJ, Jorge Darze; e o presidente do CBC, Armando de Oliveira e Silva.

Todos se declararam a favor da mobilização e demonstraram repúdio em relação à subsidiária da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), a Saúde Brasil. A próxima assembleia dos médicos federais está prevista para acontecer no dia 24 de junho.