Getúlio Vargas enfrenta problemas com superlotação

08/05/2013


Em visita técnica nesta terça-feira, 7, o CREMERJ constatou problemas de superlotação e déficit de médicos no Hospital Estadual Getúlio Vargas. Só hoje havia 128 pacientes adultos internados na emergência, cuja capacidade é de 20 leitos. Vinte e um pacientes estavam deitados em macas nos corredores da unidade. 

Como a demanda no hospital é superior à sua capacidade, a emergência fica frequentemente superlotada, sobrecarregando os médicos e, assim, gerando um déficit de recursos humanos. 

O Getúlio Vargas também enfrenta problemas com a diversidade de formas de contratação. Há mais de seis vínculos empregatícios no momento e a insegurança de que algum deles seja cancelado sem que haja reposição de pessoal. 

“Defendemos o concurso público com salários dignos porque é a melhor forma de seleção, pois traz segurança ao médico e ao gestor”, declarou o conselheiro Luís Fernando Moraes. 

Luís Fernando e os conselheiros Pablo Vazquez e Sergio Albieri convidaram os médicos para comparecerem à reunião na quarta-feira, 8, na sede do Conselho, com representantes da Secretaria Estadual de Saúde. Uma questão que será tratada no encontro é a política de recursos humanos. 

Os médicos também foram convidados para participar do XII Congresso de Emergência do Rio de Janeiro, que acontecerá no sábado, 11, no Centro de Convenções Sul América. 

Os conselheiros encerraram a visita passando por vários setores, entre eles, CTI, pediatria e centro cirúrgico. Luís Fernando, Vazquez e Albieri também se reuniram com a direção do Getúlio Vargas e membros da Comissão de Ética Médica do hospital.