Hospital da Mulher: prefeitura diz que resolverá crise

01/04/2013


O CREMERJ se reuniu na quarta-feira, 27, com a direção do Hospital da Mulher (HM), no município de Barra Mansa, para apurar se melhorias haviam sido feitas na unidade. O Conselho constatou que nenhuma mudança foi realizada desde o ano passado, quando fiscalizou o espaço pela última vez. No entanto, segundo o diretor do HM, Newton Camargo, que participou, no mesmo dia, de uma audiência com o prefeito Jonas Marins - cujo mandato começou este ano -, a prefeitura de Barra Mansa se comprometeu em solucionar a crise no HM.

Entre as medidas, Marins disse a Camargo que irá equiparar os salários dos médicos da unidade aos da UPA de Barra Mansa - os mais altos da região - e começará, nesta semana, as obras na UTI neonatal do hospital. Como o setor foi interditado na sexta-feira, 22, a prefeitura liberou uma ambulância UTI neonatal e três vagas em UTIs neonatais particulares da região.

O conselheiro Nelson Nahon, que participou da reunião com a direção do HM, assegurou que o CREMERJ acompanhará os compromissos assumidos pela gestão municipal. O coordenador da seccional de Barra Mansa, Abel Carlos de Barros, também compareceu à audiência.

\"Vamos aguardar um prazo para que as mudanças sejam feitas. Sabemos que é um período de transição, porque o prefeito assumiu agora, mas vamos voltar para saber se as melhorias foram feitas\", afirmou Nahon.

A prefeitura também assinou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público da Tutela Coletiva da região, em razão da denúncia do CREMERJ após a fiscalização que ocorreu em 2012.