Clipping - Após confirmação das mortes de dois médicos no Rio, CREMERJ diz que cinco profissionais do conselho estão infectados com

TupiFM 95,5 /

07/04/2020


Entre os contaminados está o Dr. Clovis Muñoz, que foi chefe do departamento médico do Vasco

Dois médicos no estado do Rio morreram por covid-19, o novo coronavírus. A informação foi divulgada pelo Conselho Regional de Medicina (Cremerj), na manhã desta terça-feira. Uma das vítimas, o cardiologista Ricardo Antônio Piacenso, morreu no Hospital Ronaldo Gazzola, que é referência para o tratamento da doença. Também teve a morte decretada o anestesiologista José Manoel de Melo Gomes. Segundo doutor Sylvio Provenzano, presidente do Conselho Regional de Medicina, desde o início da pandemia, médicos do mundo inteiro, inclusive do Brasil encontram dificuldades para conseguir equipamentos de proteção individual, os EPis.

'Sabidamente, em todos os lugares do mundo onde essa doença iniciou antes do que aqui no Brasil, foram os profissionais de saúde, a categoria mais afetada por essa doença, por que se expõe diariamente à pessoas possivelmente infectadas pelo vírus, que como já se sabe é transmitida como uma facilidade muito grande. Por essa razão, desde a suspeita do primeiro caso que surgiu em nossa pátria, nós insistimos pelos equipamentos de proteção individual, como máscaras, capotes, luvas e gorros, isso que era fundamental. Pelos contatos que o Conselho Regional de Medicina tem tido com as autoridades, seja a nível municipal, estadual ou federal, há uma dificuldade muito grande na aquisição desses equipamentos', disse Sylvio Provenzano.

Ainda de acordo com Sylvio Provenzano, dos 42 médicos que fazem parte do conselho, cinco testaram positivo para a doença, entre eles está o Dr. Clóvis Muñoz, com 70 anos de idade, que foi chefe do departamento médico do Vasco da Gama, e está internado há 18 dias na UTI.