Clipping - Coronavírus chega a médicos do Hospital Pedro Ernesto

O Globo /

18/03/2020


Unidade de referência em doença renal crônica, que se prepara para atender infectados, tem dois profissionais com teste positivo

Quando se preparava para receber pacientes com Covid-19, o Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe), um dos mais importantes do estado, se viu diante de um drama interno. Dois médicos foram contaminados: um profissional está em estado grave e outro, que passa bem, teve a confirmação ontem de que estava positivo para coronavírus. Os dois são especialistas da área de nefrologia, em que a unidade é referência.

Com a própria equipe afetada pela pandemia, o hospital, administrado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), está sendo equipado para atuar como um dos suportes da rede estadual do Rio para pacientes infectados. A ideia é disponibilizar 25 leitos para doentes com quadro de média ou alta complexidade.

O hospital j á reservou uma enfermaria específica para esses pacientes, com dez leitos com suporte respiratório. Há outros cinco leitos para isolamento. Além disso, na próxima semana, mais 15 leitos estarão disponíveis. Apesar de prontos, eles ainda não têm nenhum paciente.

- O que há, por ora, é um médico da nefrologia contaminado e internado em um hospital particular e um segundo professor que foi testado positivo para coronavírus, que se encontra em boas condições de saúde e em isolamento domiciliar - afirmou o diretor do hospital, Ronaldo Damião.

O primeiro médico do Hupe, que está internado, tem 65 anos e apresenta estado de saúde delicado.

O homem apresentou sintomas de febre, tosse, dificuldades respiratórias no dia 11 de março. Não teve histórico de viagem nos 14 dias anteriores, nem contato direto com casos confirmados nem suspeitos. A doença se agravou devido ao histórico de problemas pulmonares preexistentes.

O segundo caso, confirmado ontem, também é de um médico nefrologista. Ele tem 42 anos e está isolado em casa sem apresentar sintomas.

- A medida em que a pandemia avançar é provável que tenhamos casos no Hupe, mas isso não está acontecendo agora - diz Damião.

Outros profissionais da unidade foram testados, mas os resultados ainda não foram divulgados. O hospital também não revelou quantos passaram por exames.

Mesmo após a divulgação dos casos de Covid-19 entre os médicos, o serviço de nefrologia do Pedro Ernesto funciona normalmente. Pacientes renais crônicos são considerados grupo de risco para coronavírus.

MAIS UM SUSPEITO

O setor recebeu ontem uma paciente com suspeita da Covid-19. Uma mulher deu entrada na enfermaria com com quadro reumatológico. "Contudo, o diagnóstico ainda não foi confirmado", informou a direção do hospital.

- Não estamos medindo esforços para adquirir todo o material necessário para a nossa proteção e também para a aquisição de equipamentos de suporte respiratório afirmou o diretor do Pedro Ernesto.

Segundo a direção da unidade, a nefrologia atende apenas aos pacientes já cadastrados. "No caso, o hospital trabalha com quatro turnos de hemodiálise diariamente, para poder atender ao número de pessoas que precisam do respectivo tratamento", afirmou a nota enviada ao jornal. O Pedro Ernesto foi um dos hospitais do Rio que mais realizaram procedimentos cirúrgicos no estado, em janeiro deste ano, segundo portal do Ministério da Saúde. Além dele, também foram recordistas de intervenções o Hospital Geral de Nova Iguaçu, com 742; o Hospital da Posse, com 750 procedimentos; o Hospital Municipal Dr. Moacyr Rodrigues do Carmo, em Caxias, com 773.

"O que há, por ora, é um médico da nefrologia contaminado e internado em um hospital particular e um segundo professor que foi testado positivo para coronavírus, que se encontra em boas condições de saúde e em isolamento domiciliar"

Ronaldo Damião, diretor do Hospital Pedro Ernesto