Clipping - Hospital de Bonsucesso sem médicos na emergência

O Dia /

30/06/2019


Mesmo aberta, setor da unidade não tinha profissionais para atender os casos urgentes

Rio - Pacientes que procuraram neste sábado a emergência do Hospital Federal de Bonsucesso não conseguiram ser atendidos devido à falta de médicos. A escassez de profissionais no setor vem ocorrendo desde a madrugada da última sexta-feira. O Ministério da Saúde, responsável pela unidade, não se pronunciou sobre a situação.

Com fortes dores na região do abdômen, Leandro Basílio reclamou da falta de atendimento. Urinando e vomitando sangue, ele procurou a unidade após passar mal durante toda a madrugada. "Fui informado na recepção que não tem atendimento por falta de médicos. Me encaminharam para o Souza Aguiar, no Centro, que fica a mais de dez quilômetros daqui", reclamou.

Quem também não conseguiu atendimento foi o amigo de Josenilton Sobrinho. Com o ombro visivelmente fora do lugar, Vagner relatou fortes dores na região e mal conseguia falar. "As recepcionistas falaram que a emergência estava fechada e ele deveria procurar outra unidade. Mas não especificaram qual procurar", reclamou Sobrinho.

Funcionário do próprio Hospital Federal de Bonsucesso, que pediu para não ser identificado, afirmou que a falta de médicos é visível na unidade. Segundo ele, a situação ocorre devido à falta de concurso público para contratação de novos profissionais.

Segundo Alexandre Telles, diretor do Sindicato dos Médicos do Estado do Rio de Janeiro, o Sinmed/RJ, o problema na unidade é crônico e cada vez mais grave. "A falta de profissionais acontece há muito tempo. O Ministério da Saúde, em várias gestões, optou por não realizar concurso e abrir processos seletivos para tentar suprir essa demanda. Mas a falta de vínculo do profissional com o serviço gera uma alta rotatividade de médicos e prejudica a qualidade do serviço, a formação de equipes e escalas", argumentou.

Intervenção ainda sem resultado

Desde janeiro, seis hospitais federais do Rio - Andaraí, Bonsucesso, Cardoso Fontes, Ipanema, Lagoa e Servidores - estão sob a "intervenção" de profissionais militares e civis de unidades das Forças Armadas. Na ocasião, o Ministério da Saúde anunciou que faria uma reestruturação do atendimento, precarizado pela falta de profissionais concursados, equipamento e rotinas hospitalares adequadas.

Em junho, o Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro (Cremerj) fez uma interdição no Hospital do Andaraí, na Zona Norte, impedindo médicos de receberem novos pacientes. De acordo com o Cremerj, mais de 30 pacientes estavam internados em cadeiras de rodas e poltronas. Além disso, faltavam réguas de oxigênio nos quartos e equipamentos médicos. Na ocasião, o ministério informou que esforços estavam sendo feitos para manter o atendimento.

Neste sábado, O DIA procurou o ministério para cobrar uma resposta sobre o Hospital de Bonsucesso, mas não obteve resposta.