Clipping - Suspeitos de matar médica têm prisão decretada

O Globo / Rio

11/03/2019


A Justiça decretou a prisão preventiva de três suspeitos da morte da médica Gisele Palhares Gouvêa, de 34 anos, atingida comum tiro na cabeça quando dirigia uma caminhonetepela Linha Vermelha, no limite entre o Rio e São João de Meriti, em junho de 2016. Quase três anos após o crime, a Polícia Civil concluiu que ela foi vítima de um latrocínio( assalto seguido de morte ). Nesse período, dois dos acusados de envolvimento no assassinato, Christofer Cruz Barbosa da Silva e Igor de Oliveira Lopes, oS mith, morreram em confrontos coma polícia.

Os outros três acusados são do Complexo da Pedreira. Entre eles está Thiago Rodrigues da Silva, o TH ou Thiago Gordo. Apontado como o mandante de roubos de cargas praticados na região do Morro da Quitanda e cunhado do traficante Carlos José da Silva, o Arafat (que controla parte do tráfico na Pedreira), Thiago está atrás das grades desde agosto de 2017, quando foi preso pela PM com um fuzil. As investigações apontaram que ele encomendou aos bandidos um veículo com as características do carro que era dirigido pela médica.

Além de TH, tiveram prisão decretada Rodrigo Ribeiro da Silva, o Da Farmácia, e Marcos da Silva Xavier. Os dois ainda não foram localizados e são considerados foragidos. Para chegar até os acusados, a polícia contou com provas periciais e testemunhais.